segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Homenagem à Chita (1931-2011): Onde a Selva Fica de Luto.

Ele foi um dos heróis das telas das matinês mundiais, afinal, quem achou que era uma fêmea, se equivocou. Ao lado do Rei das Selvas Tarzan, o eterno personagem criado por Edgar Rice Burroughs (1875-1950), ele (ela) o salvava em praticamente todos os perigos em que o Homem Macaco se arriscava, pelo menos nos filmes de Hollywood interpretados por Johnny Weissmuller (1904-1984) e Lex Barker (1919-1973), além de provocar muitos risos nas plateias de cinema com suas trapalhadas . Falo da macaca Chita (Cheetah em inglês), tão famosa quanto seu ilustre dono.

Chita surgiu na imaginação dos produtores de Hollywood ao período em que se produzia o primeiro filme sonoro de Tarzan, que seria estrelado por Weissmuller. Nos romances originais de Rice Burroughs, Cheetah era o nome designado na linguagem dos grandes macacos como leopardo, ao caso que o macaquinho amigo de Tarzan se chamava Nikima, e não era um chimpanzé. Em 1976, um desenho produzido pela Filmation que reproduzia mais fidedignamente as aventuras de Tarzan baseadas nos livros de Edgar Rice Burroughs introduziu o macaquinho Nikima como o mascote do Rei das Selvas, em vez da chimpanzé Chita, que ficou mais popular graças aos filmes produzidos ao longo de décadas no cinema e na TV.

Companheira de Tarzan em pelo menos 12 filmes, entre as décadas de 30 e 40, Chita era, na verdade, um macho. Batizado originalmente como Jiggs, ele depois ganhou o nome que tão bem o celebrou. Atuou ao lado do “Tarzan” Weissmuller, Maureen O’ Sullivan (1911-1998), que é a mais famosa Jane do cinema, e Johnny Sheffield (1931-2010) que interpretava o filho de ambos, Boy (e outro detalhe a fugir dos eventos originais das obras literárias de Burroughs, quando na verdade o filho de Tarzan e Jane se chamava Korak, e não era adotado como nos filmes, já que os produtores e roteiristas fizeram isso para evitar confrontos com ligas puritanas e o Código Hays, uma vez que em várias aventuras no cinema não eram oficialmente casados) – e tanto dentro quanto fora dos sets de filmagem, Chita proporcionava grandes risadas.


Talvez tão popular quanto os famosos filmes que cativaram a imaginação de eternas crianças foram as trapalhadas e encrencas que se metia, e um bom exemplar disso esta em Tarzan contra o mundo (Tarzan's New York Adventure) onde vai parar na cidade grande junto com o Homem Macaco e Jane em busca de Boy que fora sequestrado, e lá se mete em muitas traquinagens. Foi o último da saga produzida pela Metro Goldwyn Mayer (que depois passaria as produções para a RKO, com uma qualidade um pouco mais baixa do que os filmes produzidos pela MGM, mas ainda assim, a RKO nos entretinha com divertidas aventuras) e também o último de Maureen O’ Sullivan no papel de Jane, que queria investir em outros papéis para evitar ficar estigmatizada pelo papel, sem contudo conseguir tanto.



Quando Johnny Weissmuller deixou o “trono” do papel, em 1948 (era Tarzan desde 1932, logo ficou no papel durante 16 anos, embora o personagem tivesse tido outros intérpretes cinematográficos na mesma época, como Herman Brix, Buster Crabbe, e Glenn Morris), assumiu Lex Barker, considerado o “Tarzan mais belo de Hollywood”. Chita também atuou ao lado de Barker, que imperou no personagem entre 1949 a 1953. A partir daí, Chita teve sucessores e imitadores, chimpanzés igualmente inteligentes, como nos casos dos filmes estrelados por Gordon Scott, Denny Miller, e Mike Henry no papel – e na TV por Ron Ely na série cult produzida entre 1966 a 1968.



Nos últimos 50 anos, vivia num santuário de animais, na Flórida, e era uma celebridade no local, sendo visitado por fãs de todo mundo. Como muitas celebridades, até Chita tinha suas excentricidades como um verdadeiro astro de cinema: bebia cerveja Budweiser, fumava charutos, e quando contrariado, jogava excrementos em seu desafeto. Tendo sobrevivido a Johnny Weissmuller (que morreu em 1984), Maureen O Sullivan (que morreu em 1998), Lex Barker (que morreu em 1973) e Johnny Sheffield (que morreu em 2010), Chita colecionou também muitos admiradores, mas mesmo assim foi desdenhada uma estrela na calçada da fama, que foi três vezes solicitada uma inclusão na galeria de estrelas, mas por pura injustiça, jamais houve um convite.



Chita morreu na véspera de natal do ano que passou, aos 80 anos, mas como muitos dos nossos astros que amamos e se imortalizam em nossas lembranças, esta celebridade animal também tem um lugar, graças a tantas gargalhadas que nos proporcionou. Descanse em Paz, amiguinho! A Sétima Arte e seus fiéis amantes agradecerão para sempre sua imensa contribuição.


SAIBA MAIS SOBRE TARZAN EM: Tarzan: Cinema, Televisão, e Quadrinhos, no link abaixo:

17 comentários:

  1. Paulo, visitar seu blog é fazer uma viagem no tempo. Chita era um animal tão inteligente que me lembro de querer tê-la comigo quando criança. Eu só não conhecia seus hábitos excêntricos! Um abraço!

    ResponderExcluir
  2. Pois é...Chita só passou a adquirir mesmo tais hábitos na medida que foi crescendo, creio, rsrs.
    Estamos para viajar pelo tempo, todos juntos, pelos infinitos caminhos da nostalgia. Um abraço Bia, é sempre bom ler seus comentários.

    Paulo Néry

    ResponderExcluir
  3. Muito bom conhecer a história de Chita, não sabia que ela tinha vivido tantos anos ou mesmo que ainda estivesse viva até hoje.

    ResponderExcluir
  4. rsrs, verdade Gil. Também me surpreendi, pois não sabia que um chimpanzé pudesse viver tanto.

    ResponderExcluir
  5. Corrigindo o comentário anterior: não imaginei que ela pudesse estar viva até o ano passado.

    ResponderExcluir
  6. Oi amigo Gil, foi entendida sua observação. Grande abraço

    ResponderExcluir
  7. Amigo Paulo Néry, passei para agradecer sua bondade e atenção no SOS Tamara Schutz, Deus lhe pague e abencoe.

    Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  8. Saudações amigos Nilse & João.

    Que este espaço não sirva apenas para uma salutar "troca de figurinhas" entre amigos, mas que também possa ser um local de utilidade pública em nome da assistência e solidariedade para com o próximo. Profunda paz para vcs e não há o que agradecer. Grande abraço

    Paulo Néry

    ResponderExcluir
  9. Grande Paulo, ótima homenagem ao Jiggs, Parabéns pelo ótimo texto. Fiquei emocionado com a primeira foto dele pequenininho no colo de Weissmuller.Realmente uma pena ele não ter conseguido uma estrela na calçada da fama, tem tantas estrelas lá de gente com carreiras inferior e esquecida coisa que nunca aconteceu com esse nome "Cheetah". Grande história e vida longa em....

    Abração, t+

    ResponderExcluir
  10. Emoção sinto em seu comentário, Jefferson. Se não tem uma estrela na Calçada da Fama, isso ainda não quer dizer que não carregará para sempre a ESTRELA DE NOSSAS ETERNAS LEMBRANÇAS, pois isto ela tem e de sobra no nosso céu. Abraços.

    ResponderExcluir
  11. Boa noite!!!!

    Eu nunca assisti a nenhum filme com a Chita, mas já ouvi muito meus pais falando dela (que é ele)!
    Para um macaco, ele foi bem longevo, e espero que lhe concedam uma estrela na Calçada porque tinha muita fama, merecendo estar lá, sim!
    Pena ter morrido...

    Abraços,
    Mary:)

    ResponderExcluir
  12. Saudações Mary.

    Acredito que Jigss (seu verdadeiro nome)é merecedor de uma estrela não somente porque é famosa, mas porque tinha diversos atributos que vieram a cativar fãs e espectadores ao longo de mais de 50 anos. Claro que a nova geração não conhece e só ouviu falar, mas nunca é tarde de conhecer seus trabalhos, logo, sugiro a amiga assistir em DVD alguns clássicos de Tarzan estrelados por Johnny Weissmuller, principalmente TARZAN CONTRA O MUNDO, onde é divertidíssimo as trapalhadas de Chita.

    Obrigado pela participação, abraços

    Paulo Néry

    ResponderExcluir
  13. Pura verdade, Nery. A macaquinha/o estava quase sempre tirando os tarzans de enrascadas.
    Não vi mais que seis filmes de Weissmueller, pois somente as reprises nas TV's me concediam esta graça. Sobre Lex Barker vi muito menos. No entanto vi todos com Gordon Scott e um com Jock Manoney. Os do seriado de Ron Ely eu vi muitos. Porem, ele não tinha qualidades para fazer tal papel. Era muito fraco. Mas, como criança gosta de qualquer aventura, vi muitos pequenos filmes dele.
    Quanto à Chita, ela era formidável! Nos fazia rir demais e, possivelmente, tinha mais cenas que os tarzans com quem trabalhava.
    Viveu bem, viveu muito. Oitenta anos é uma idade que nunca imaginei simios viverem.
    jurandir_lima@bol.com.br

    ResponderExcluir
  14. Jurandir, vc achava o Ron Ely fraco? ele poderia não ser musculoso, mas tinha agilidade, e olhe que ele fazia muitas cenas sem dublês, até mesmo as lutas em Karate.

    Talvez tenha sido o único interprete que, se ao menos não tinha o físico conforme os romances de Burroughs, ou os quadrinhos tão bem desenhados por Russ Manning, Hogart, entre outros - pelo menos ele tinha o espírito do personagem. Sugiro ao amigo que leia sobre TARZAN no link Pós-Post que talvez vc entenda esta observação.

    Chita era um destaque tremendo nas antigas produções, mas fez história, e como vc, até então, também não sabia que os macacos pudessem viver tanto.

    Paulo Néry

    ResponderExcluir
  15. Parabéns pela homenagem a Chita, e quanto ao complemento, eu diria que é espetacular e necessário.
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado, Amigo, seja bem vindo. Sua participação é muito importante. Um forte abraço do editor.

      Excluir
  16. não da pra esquecer dela nunca,até pq é dificil já que a bala de abacaxi com nome dela não deixa....

    ResponderExcluir

NOTAS DE OBSERVAÇÃO PARA PUBLICAÇÃO DE COMENTÁRIOS.

1)Os Comentários postados serão analisados para sua devida publicação. Não é permitido ofensas ou palavras de baixo teor. É Importante que o comentarista se identifique para fins de interação entre o leitor e o editor. Comentários postados por "Anônimos" sem uma identificação ou mesmo um pseudônimo não serão publicados e serão tratados como spam

2)Anúncios e propagandas não são tolerados neste setor de comentários, pois o mesmo é reservado apenas para falar e discutir as matérias publicadas no espaço. Caso queira fazer uma divulgação, mande um email para filmesantigosclub@hotmail.com. Grato.

O EDITOR


“Posso não Concordar com o que você diz, mas defenderei até a morte seu direito de dize-la”

VOLTAIRE

Outras Matérias

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...